A Tarefa de Pregar no Deserto é
Sagrada e Significa Emitir um Mantra
 
 
Carlos Cardoso Aveline
 
 
 
 
 
* A tarefa do ser humano é construir em sua consciência uma escada entre céu e terra, uma ponte firme entre os dois lados de um rio.
 
* A essência do universo guia cada vida humana e brilha, quase invisivelmente, no centro do nosso ser individual.
 
* Na ausência de uma vontade fortalecida, confusões aparecem. Uma calma e firme autodisciplina é a chave para transformar boas intenções em ações corretas.
 
* A ajuda mútua é a lei da vida. O pensamento correto e a emoção honesta constituem a base da ação eficaz.
 
* Muitos levam uma vida cheia de barulho e agitação. Com isso fogem temerosos da voz da sua própria consciência.
 
* A autopurificação abre o caminho do autoconhecimento, e é inseparável do sentimento de responsabilidade.
 
* O caminho da sabedoria implica criar na vida diária hábitos físicos, emocionais e mentais compatíveis com a filosofia universal que se estuda.
 
* Os ciclos e ritmos da vida expressam o carma. Observá-los permite que harmonizemos o modo como a energia flui desde o mundo das Causas para o mundo dos Efeitos.
 
* Não pense que conforto é felicidade. Longe disso: o caminho do sofrimento é pavimentado com apego à satisfação pessoal. A felicidade resulta da sabedoria, e é inseparável da renúncia e da simplicidade voluntária.
 
* Para ficar livre da ignorância, não basta desejar a libertação. A liberdade, assim como o desapego, resulta de um conhecimento direto das inúmeras maneiras como a ignorância funciona, e da experiência acumulada de quem opta sempre pelo caminho da sabedoria e da ética.
 
* Cada ser humano contém em si mesmo o que é permanente e o que é impermanente. À medida que alcança a sabedoria e passa pelas mudanças necessárias, a presença do eterno em sua alma ganha influência.
 
* O que é ilusório não permanece.
 
* O fato de que ao longo da história as civilizações se sucedem umas às outras deveria ser suficiente para percebermos que elas são ilusórias, no sentido de passageiras. Buscar a verdade, em filosofia esotérica, significa transcender o horizonte da atual “civilização”, a qual, aliás, em vários aspectos é pouco civilizada.
 
* A tarefa de pregar no deserto é sagrada e significa emitir um mantra. A missão requer paciência, coragem, discernimento. Quando o trabalho é bem feito, no tempo certo surge um pequeno oásis, que crescerá.
 
* A existência de um perigo real é uma grande fonte de lições para quem busca a sabedoria. É impossível trabalhar pelo bem da humanidade sem enfrentar diversas formas de ignorância organizada. Graças aos obstáculos, o discípulo aprende.
 
* Há épocas em que a mentira e a falsidade parecem prevalecer, e elas duram pouco. Há outras épocas em que as ilusões já não resistem ao seu próprio peso, mas implodem e desaparecem. Então a sinceridade renasce livre, trazendo consigo uma nova primavera da ética e da justiça.
 
* Para agir com eficácia e fazer a diferença, cabe localizar calmamente aquele ponto no espaço e no tempo em que a diferença pode ser feita. A paciência e a perseverança exercidas na direção correta irão primeiro construir, e depois revelar o momento decisivo, no local certo.
 
* Embora seja indispensável uma certa indiferença ao mundo externo, o desapego pessoal deve ser compensado pela capacidade de resposta intensa e imediata diante de um fato novo significativo.
 
* É falsa a ideia de que a nossa paz e o nosso sossego dependem principalmente de circunstâncias externas. O bem-estar depende sobretudo da força da alma e da decisão de longo prazo de alcançar a bênção interior. Os fatores externos se adaptam invisivelmente à condição da alma.
 
* Todos os aspectos do tempo pertencem à eternidade, e também ao momento presente. A prática de aprender lições do passado e os esforços por construir um futuro melhor fazem parte do Tempo Eterno. As sete eternidades estão ocultas no instante de agora. O momento presente percorre as eternidades e vai além.
 
* O tempo histórico é semelhante ao tempo da alma, e se mede por séculos e milênios. As bases da futura fraternidade planetária apenas começaram a ser construídas. A humanidade atual terá que avançar mais alguns passos na direção da ética e da ajuda mútua, antes que possa ser percebida a verdadeira dimensão do trabalho pioneiro realizado por Helena P. Blavatsky no século 19.
 
* A ação altruísta eficaz combina diferentes níveis de consciência. É preciso que haja um equilíbrio e uma harmonia entre o esforço feito no plano das emoções, no plano dos pensamentos, e na ação física. Cabe dar atenção a todo o ciclo, no trabalho, no descanso, e no recomeço do trabalho. Durante as horas de esforço, o uso adequado das energias criadoras nos prepara para repousar melhor ao final do dia.
 
* Entre os segredos da sabedoria esotérica, que cada peregrino deve encontrar em sua jornada individual, está o equilíbrio necessário para ter um severo espírito crítico e abster-se da negatividade desnecessária.
 
* O indivíduo sensato prioriza colocar em ação e administrar as energias capazes de criar aquilo que é correto. Os erros são encarados de frente, e ele trata de corrigi-los com eficiência. O foco central do esforço gira em torno da preservação e da expansão do mais valioso e abençoado, e que é, ao mesmo tempo, novo e eterno, tradicional e revolucionário.
 
000
 
O artigo acima foi publicado como texto independente em 19 de abril de 2018. Uma versão inicial dele está incluída de modo anônimo na edição de maio de 2015 de “O Teosofista”.
 
Embora o título “Ideias ao Longo do Caminho” corresponda ao título em língua inglesa “Thoughts Along the Road”, do mesmo autor, não há uma identidade exata entre os conteúdos das duas coletâneas de pensamentos.
 
000 
 
O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 
 
 
Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:  
 
 
000