Crescei, Dando Morada Aos
Passarinhos, Dando Alimento Aos Animais
 
 
Olavo Bilac
 
 
 
 
 
00000000000000000000000000000000000000000000
 
Nota Editorial:
 
Os versos a seguir são a letra do “Hino das Árvores”,
composta por Olavo Bilac. O hino foi publicado em “O
Século Agrícola”, nº 26, Lisboa, 25 de janeiro de 1913, p. 1.
 
(Carlos Cardoso Aveline)
 
000000000000000000000000000000000000000000000000000000
 
 
 
Quem planta uma árvore enriquece
a terra, mãe piedosa e boa;
E a terra aos homens agradece,
a mãe aos filhos abençoa.
 
A árvore, alçando o colo cheio
de seiva forte e de esplendor,
deixa cair do verde seio
a flor e o fruto, a sombra e o amor.
 
Crescei, crescei, na grande festa
da luz, do aroma e da bondade,
árvores-glória da floresta!
árvores-vida da cidade!
 
Crescei, crescei, sobre os caminhos,
árvores belas, maternais,
dando morada aos passarinhos,
dando alimento aos animais!
 
Outros verão os vossos pomos!
Se hoje sois fracas e crianças,
nós esperanças também somos:
plantamos outras esperanças!
 
Para o futuro trabalhamos:
pois, no porvir, nossos irmãos
hão de cantar sob estes ramos,
e bendizer as nossas mãos!
 
000
 
O poema acima foi publicado na edição de setembro de 2016 de “O Teosofista”, pp. 10-11.
 
000
 
O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 
 
 
Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:  
 
 
000