Ampliando a Ponte Diária Entre
Ética, Autoconhecimento e Teosofia
 
 
Carlos Cardoso Aveline
 
 
 
 
 
A grande equação do carma, para os amigos da Loja Independente de Teosofistas, está na relação entre a palavra e o fato, o ideal e o gesto prático, a literatura estudada e a vida diária.
 
E isso passa pelos padrões emocionais de cada um.
 
O desafio é mais ou menos o mesmo para todos os que buscam a verdade e o conhecimento sagrado.
 
No século 19, Helena Blavatsky escreveu que a partir do ano de 1900 os psicólogos passariam a ter muito trabalho. Nas Cartas dos Mahatmas, vemos um Mestre esclarecer que todo o processo de testes para o discipulado acontece na sociedade moderna pelos desafios psicológicos e pelo autoconhecimento do eu inferior, na sua relação silenciosa com o eu superior.
 
O instrutor esclareceu:
 
“O aspirante é agora atacado inteiramente no lado psicológico da sua natureza. O processo de testes – na Europa e na Índia – é o da Raja Ioga, e o seu resultado é, como tem sido explicado frequentemente, o desenvolvimento de todos os germes, bons e maus, que há nele e em seu temperamento. A regra é inflexível, e ninguém escapa, quer ele apenas escreva uma carta para nós, ou formule, na privacidade do seu próprio coração, um forte desejo de comunicação e conhecimento ocultos.” [1]
 
Nossos websites associados colocam ao alcance do público livros e artigos sobre o tema da Psicologia. Estudantes da Loja Independente discutem de vários modos a ampliação da ponte essencial entre autoconhecimento, teosofia e ética. Trata-se de uma prioridade em matéria de pedagogia. Não basta estudar e repetir as ideias do conhecimento teosófico. É preciso que cada um mude na vida diária tanto a direção como a substância das suas metas emocionais, e isso acontece à medida que se eleva o foco médio da consciência.
 
Deixando que morram em si o orgulho egoísta e o medo pessoal, o peregrino faz nascer a boa vontade para com os outros. Quando o rancor e a falta de autoconfiança desaparecem, a verdadeira fraternidade germina.
 
Vive de fato a teosofia aquele que abandona o cultivo dos “sofrimentos prediletos” e de “rancores secretos”. Cabe eliminar o boicote a si próprio. O indivíduo orgulhoso, ou que tem inveja dos outros, não é amigo de si mesmo. A vaidade deve ser desmascarada, para que surja um sentimento humilde diante do cosmos e dos Sábios.
 
A sensação agradável de “parecer espiritual” é reconhecida pelo teosofista bem informado como uma fraude narcisista, essencialmente igual a tantas outras falsidades personalistas do mundo de hoje.
 
Quando as frustrações pessoais são reconhecidas como neuroses sem atrativos e jogadas na lata do lixo do carma, nasce a satisfação ilimitada de lutar por um ideal nobre.
 
O prazer de criticar coisas supostamente erradas (nos outros ou em si mesmo) é então substituído pela satisfação duradoura de curar, de reparar, de melhorar, consertar, resgatar e plantar o que for bom, belo e verdadeiro.
 
Assim o cidadão constrói uma relação correta entre o que diz e o que faz, o que pensa e o que sente, entre o que quer obter na vida e aquilo que orienta de fato as suas ações. A autoestima permite ter respeito pelo seu próximo e também um contentamento incondicional em relação à vida.
 
O desafio diante da Loja Independente não é optar prioritariamente pelo estudo de Helena Blavatsky, das Cartas dos Mestres, dos filósofos clássicos orientais e ocidentais e de textos baseados nestas fontes. Esta opção já foi feita.
 
O desafio do estudante é observar e melhorar a cada passo, de modo invisível mas eficiente, a sua relação direta com o ideal que adotou como seu. Não vale a pena protelar indefinidamente.
 
Que formas de autodisciplina podem fazer uma revolução silenciosa na vida do estudante, para que ele desperte a tempo?
 
E, como diz a tradição judaica, “se não for agora, quando?”
 
Cada dia nos oferece algumas sementes de eternidade, junto com lições valiosas do passado e meios práticos de construir um futuro correto.
 
NOTA:
 
[1] “Cartas dos Mahatmas”, Ed. Teosófica, Brasília, volume II, Carta 136, p. 316.
 
000
 
 
000
 
Em 14 de setembro de 2016, depois de uma análise da situação do movimento esotérico internacional, um grupo de estudantes decidiu criar a Loja Independente de Teosofistas. Duas das prioridades da LIT são tirar lições práticas do passado e construir um futuro saudável.
 
000
 
O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 
 
 
Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:
 
 
000